O ponto G não Existe! Afirma especialista!

O prazer feminino não pode ser resumido a um ponto, dizem cientistas italianos. A satisfação sexual das mulheres pode ser alcançada com o estímulo ao complexo de órgãos reprodutivos: clitóris, vagina e útero. Em artigo publicado na revista Nature, professores da universidade Tor Vergata, em Roma, defendem um sistema “altamente dinâmico com estruturas sensíveis” responsável pelo prazer feminino. O pesquisador Emmanuele Jannini disse que a existência de um ponto G é demasiadamente simplista.

O ponto G começou a ser discutido em 1950, quando Ernst Grafenberg, um ginecologista alemão, propôs sua existência. Em 1976, o Relatório sobre Sexualidade Feminina sugeriu que o clitóris é o maior responsável por orgasmos na maioria das mulheres. Agora, diz Jannini, técnicas modernas de imagem — como ultrassom — permitiram aos ginecologistas e cientistas estudarem o que acontece com diferentes áreas do sistema reprodutor feminino durante a atividade sexual.

— O clitóris, a uretra e a parte da frente da parede vaginal levaram ao conceito de um complexo de órgãos responsáveis pelo prazer — explica o professor.
Fonte: Testosterona

João Filho

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.