10 Filmes mais confusos de todos os tempos

Você já assistiu um filmes complicado, do tipo que nos deixa a pergunta: “Que diabos nós acabamos de assistir?” Em outras palavras, só porque um filme pode ter um enredo com um sentido complexo, isso não é garantia de que vai realmente fazer sentido. Então, nesse espírito, confira os 10 filmes mais confusos de todos os tempos.
Fonte: Cinemanix
1. 2001: Uma Odisséia no Espaço

Hoje, a adaptação cinematográfica de Stanley Kubrick do romance de Arthur C. Clarke ’2001: Uma Odisséia no Espaço” é amplamente visto como um clássico. Mas seu visual trippy, cenas longas sem diálogo e de estimulação lenta, o torna quase impenetrável para alguns.

E não vamos esquecer o final do filme, onde o astronauta Dave Bowman se choca com um caleidoscópio psicodélico de cores que é então transformado em um bebê espacial gigante conhecido como o “Star Child”.

2. Donnie Darko

Olha, todos nós gostamos de ‘Donnie Darko’, tanto quanto os 6 jovens da Caverna do Dragão gostavam do Mestre dos Magos, mas você praticamente precisa de um diploma em física teórica para desvendar o significado deste clássico cult.

Felizmente, uma versão do diretor foi lançada em 2004, que faz o enredo um pouco mais fácil de entender. Mas, ainda assim, continuamos um pouco confusos com o final, mais de uma década depois.

3. Amnésia

Dada a acessibilidade dos filmes de Batman de Christopher Nolan, é difícil acreditar que ele também é responsável pelo quebra-cabeças de 2000 Amnésia, estrelado por Guy Pearce, Joe Pantoliano e Carrie-Anne Moss.
O filme conta a história de Leonard Shelby, que tenta caçar um dos homens que estupraram e mataram sua mulher. O problema é que Shelby sofre de uma forma de amnésia que torna impossível para ele guardar memórias recentes. Isso é um dispositivo para um grande enredo com certeza, mas definitivamente não é algo que combine com uma narrativa clara. Para piorar a situação, a história é contada fora da ordem cronológica.

Felizmente para os fãs, o filme foi lançado em DVD com uma capacidade escondida para executar suas seqüências em ordem. Embora, sendo honesto, isso não ajudou muito.

4. Eraserhead

David Lynch é o padrinho de filmes estranhos e bizarros e seu primeiro longa-metragem, “Eraserhead”, não é exceção. É o conto muito surreal de um homem chamado Henry Spencer que cuida de sua mutação, um filho reptiliano. Ele também inclui um frango que jorra sangue, células de esperma gigantescos e uma mulher estranha com as bochechas inchadas que vive em um radiador.
Embora Lynch tenha, teimosamente, se recusado a explicar o filme, ele poderia ter dito algo como uma metáfora para o medo da paternidade ou simplesmente um sonho ruim… ou não.

5. End of Evangelion

Quando “Neon Genesis Evangelion” foi ao ar na TV japonesa a partir 1995-1996, foi elogiado por críticos e fãs por seu estilo visual único e história envolvente em que as crianças usam mecanismos para combater monstros enormes, conhecidos como “anjos”. Ainda assim, quase todos concordaram que não fez muito sentido.
Assim, quando o criador Hideaki Anno lançou uma versão ampliada dos episódios finais, em 1997, como o filme chamado End of Evangelion, os fãs tinham grandes esperanças para algo que desse mais clareza. Infelizmente eles ficaram desapontados.

Nas cenas finais do filme, o protagonista Shinji fica um louco sem esperanças e toda a humanidade se dissolve em uma sopa primordial. Então, Shinji e o companheiro piloto Asuka, de alguma forma emergem do mar de humanos goo tentam se estrangular como uma maneira de confirmar a suas próprias individualidades. É um típico desenho animado desábado de manhã não é?

6. Primer

Houve uma forte agitação em torno do recém-lançado segundo filme de Shane Carruth “Upstream Cor”, mas ele começou a sua carreira em 2004 com Primer, um filme de baixo orçamento inescrutável sobre dois cientistas que constroem uma máquina de viajar no tempo.

Dizer que “Primer” – que foi feito com um orçamento de apenas US $7.000 – é complicado seria um grande eufemismo. Na verdade, ele está tão cheio de detalhes que múltiplas visões são obrigatoriamente necessárias. Quase 10 anos depois de sua estréia, sites de fãs estão somente agora a desvendando o seu significado. Então, se você está pensando em assistir “Primer”, vale a pena antes dedivar seu tempo a ler bastante sobre o filme.

7. PI

Como a maioria dos filmes de Darren Aronofsky, ‘Pi’ é tão complicado que é certeza garantida de explodir sua cabeça. Trata-se de um matemático chamado Max Cohen, que se torna cada vez mais obcecado com a idéia de que tudo na natureza pode ser entendido com números. Cohen também sofre de paranóia, alucinações e distúrbios de ansiedade social.

Nada, aliás, pode prepará-lo para o final surpreendente do filme, que envolve uma cirurgia caseira com uma furadeira. Assista a este filme e você provavelmente vai se sentir como quem sofreu uma lobotomia.

8. Matrix Revolutions

Depois de um primeiro filme incrível, quase todos concordam que a trilogia ‘Matrix’ perdeu força no final. Mas o terceiro filme – “The Matrix Revolutions” – também se qualifica como o mais confuso do grupo.

Em particular, o final do filme é um verdadeiro quebra-cabeças. O Neo morre depois de sua batalha épica com o Agente Smith? Ou será que ele se unifica com a Matrix? A guerra da humanidade com as máquinas realmente acabou? E o que é que o arquiteto e a Oracle conversaram na cena final? Tantas perguntas e tão poucas respostas. Talvez Neo deveria ter tomado a pílula azul.

9. A Árvore da Vida

Em um nível, o filme de Terrence Malick ‘A Árvore da Vida’ de 2011, é o conto bastante simples do clã O’Brien no Texas de 1950. Mas depois as coisas, rapidamente, ficam confusas – a história da família é intercalada com cenas aleatórias representando nada menos do que a criação do universo, a origem da vida e a destruição da Terra, depois que o sol vira uma supernova.

Depois, há a conclusão do filme, que apresenta uma visão da morte e ressurreição do sonho em câmera lenta. Já dá pra perceber que o filme não é nem um pouco coerente. Tenha em mente que mesmo a cabeça da River Road Entertainment, Bill Pohlad, que financiou o filme, uma vez descreveu-o como “louco”. Não diga que não avisei.

10. Cidade dos Sonhos

Junto com “Eraserhead” e “Veludo Azul”, de 2001 ‘Cidade dos Sonhos’ é um dos trabalhos mais aclamados de David Lynch. Mas esta história de uma aspirante a atriz que se esconde no apartamento de sua tia não é nada fácil de entender.

Na verdade, é não-linear, desarticulado, repleto de seqüências aparentemente não relacionadas e altamente abertas à interpretação. (O fim em particular, tem sido o assunto de muito debate.) E como você poderia esperar, Lynch não vai explicar nada do filme. Se alguém, por acaso, conseguir descobrir qualquer coisa que seja que explique o filme, por favor nos avise.

João Filho

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.