Quem matou John F. Kennedy? Confira 6 teorias da conspiração famosas

Foi a CIA, a KGB, os cubanos ou um acidente? Nos 50 anos da morte do líder, os três tiros disparados em Dallas naquela tarde ainda reverberam em todo o mundo

No dia 22 de novembro, completaram-se 50 anos da morte trágica de John F. Kennedy, causada por um tiro na cabeça e um no pescoço, que aniquilaram não somente o líder norte-americano, mas também os sonhos da população dos Estados Unidos naquela época.
As gravações em vídeo, que mostram o momento exato dos tiros e a primeira-dama Jacqueline — num ato desesperado — juntando os miolos do marido, se tornaram conhecidas em todo o globo. 


E, com o aniversário de meio século do ocorrido, voltam à tona todas as conspirações sobre o assassinato, que, nas conclusões oficiais, teria sido causado por Lee Harvey Oswald em uma ação solitária. 
Apesar da acusação, Oswald negou qualquer responsabilidade pelo crime e, dois dias depois da morte de Kennedy, o próprio suposto assassino foi morto a tiros (com várias testemunhas) por Jack Ruby. Teria sido queima de arquivo antes que ele abrisse o bico para falar realmente por qual razão matou o presidente dos Estados Unidos ou a mando de quem ele fez aquilo?
Essas e muitas outras perguntas ainda povoam os pensamentos de pessoas do mundo inteiro, que têm absoluta certeza de que Oswald não agiu sozinho, mas sim fazia parte de uma conspiração para acabar com o governo de JFK, que estava sofrendo pressões externas por vários motivos. 
Caso Oswald não fosse o verdadeiro culpado, quem realmente seria o responsável pelos três tiros na tarde de 22 de novembro de 1963, em Dallas, durante uma carreata junto ao governador texano, John Connally? Confira abaixo as teorias da conspiração mais populares sobre o assassinato de Kennedy.

6 – Foram os soviéticos

Segundo o site Scientia Press, os soviéticos tinham um motivo bastante palpável e poderoso para matar JFK: se vingar pela humilhação da União Soviética na crise dos mísseis de Cuba, em 1962, seguindo uma ordem do premier Nikita Khrushchev.
Para isso, eles teriam utilizado Lee Harvey Oswald, que era comunista e tinha passado alguns anos em terras soviéticas sob vigilância constante da KGB. Ele teria sido escolhido porque havia relatado aos oficiais que tinha informações importantes da época em que trabalhou no Corpo de Fuzileiros dos Estados Unidos como operador de radar.
Oswald se casou com uma soviética durante a sua jornada naquele território e, supostamente, teria também contatos com diplomatas de lá. 

Entretanto, tanto a Comissão Warren quanto o Comitê da Câmara sobre Assassinatos encontraram poucas evidências para apoiar a teoria, mas um ex-agente da KGB, Ion Mihai Pacepa, surgiu alguns anos mais tarde para afirmar que Oswald era um agente da KGB “programado” para matar o presidente Kennedy.

5 – Foi a CIA
Uma das teorias é apoiada por um suposto comentário que o presidente John Kennedy teria feito, afirmando que ele queria “estilhaçar a CIA em mil pedaços e espalhá-la pelo vento". Esse teria sido o estopim e feito dele um alvo da Agência Internacional de Inteligência.
A CIA sempre foi um “bicho-papão” fácil de apontar nas teorias, tudo porque seu funcionamento e seus agentes são um segredo para a maioria dos americanos. Além disso, na década de 1960, a agência tinha uma reputação de assassinar políticos de alto nível.
Outra teoria sugere que Oswald era um funcionário da CIA, e os agentes teriam adulterado seu arquivo do FBI antes e após a investigação do assassinato para fazer parecer que ele era um comunista envolvido com a União Soviética. Em 1978, o Comitê Seleto da Câmara sobre Assassinatos relatou que não havia nenhuma prova de que Oswald tinha algum contato com a agência.

Além das teorias acima, outra sugere que JFK foi morto por mostrar muito interesse em "atividades alienígenas" no país. Há duas peças cruciais de evidências que apoiam isso. A primeira seria uma carta escrita por Kennedy para a CIA na qual ele pede para ver os arquivos secretos sobre OVNIs. A segunda é uma nota de um funcionário da CIA, dizendo que eles não poderiam permitir que o presidente visse os materiais.

4 – Foi a Máfia

Por que a máfia queria JFK morto? Supostamente porque seu irmão, Robert, estava acabando com a festa do crime organizado. Robert era o procurador-geral dos EUA na época e sua "cruzada antimáfia" conduziu a um aumento acentuado no número de processos dos bandidos figurões. Com isso, a teoria afirma que, se o irmão presidente de Robert fosse morto, ele perderia a influência e deixaria a Máfia “trabalhar” em paz.


Muitos defensores desta teoria da conspiração relacionam também Jack Ruby, o dono de casas de prostituição de Dallas — e que tinha de fato ligações com os mafiosos —, que matou Lee Harvey Oswald dois dias depois de sua prisão.
Apesar de todas as supostas evidências, a Comissão Warren e o Comitê de Assassinatos limparam a barra da Máfia no envolvimento de qualquer trama para o assassinato, mas não descartaram que os indivíduos ligados a ela tinham relação com o crime.

3 – Foram os cubanos

De acordo com essa teoria, como os agentes dos EUA, supostamente, já teriam tentado várias vezes assassinar Fidel Castro, o presidente cubano teria decidido então que estava na hora de lavar a sua honra e tentar assassinar Kennedy.

Talvez o mais famoso defensor da teoria dos cubanos seja Lyndon Johnson, o homem que sucedeu o cargo de presidente no lugar de Kennedy após o assassinato. "Kennedy estava tentando chegar a Castro, mas Castro chegou a ele antes", disse Johnson à ABC News em 1968.

Tanto a Comissão Warren quanto o Comitê da Câmara sobre Assassinatos livraram os cubanos de qualquer envolvimento e, quando Castro foi entrevistado por Bill Moyers, em 1977, ele chamou a teoria de "insanidade absoluta".
2 – Foi Lyndon Johnson


Em 2003, uma pesquisa do instituto Gallup revelou que 20% dos americanos acreditavam Johnson tinha algo a ver com a morte de JFK. As teorias relacionadas com Lyndon incluem o desejo que ele tinha em se tornar presidente, sua necessidade de encobrir escândalos e seu envolvimento com o FBI.
A teoria ainda é apoiada pela suposta ajuda que Johnson teria recebido de membros da CIA e de magnatas que acreditavam que iriam lucrar mais sob uma administração dele no governo do país. Ele teria sido ajudado ainda por um jovem e ambicioso político, de nome George H. W. Bush.

1 – Os Illuminati

Era por essa teoria que vocês estavam esperando, certo, leitores? É claro que os Illuminati não poderiam ficar de fora dessa lista. A sociedade secreta que muita gente acredita que controla tudo no mundo é uma candidata mais do que óbvia para uma teoria da conspiração do assassinato de JFK.

Essa teoria é baseada em um conflito que o presidente Kennedy, supostamente, teria com os Illuminati, porque ele queria acabar com a Guerra do Vietnã. Segundo a teoria, a guerra estava rendendo aos banqueiros membros da sociedade dividendos consideráveis.
Além disso, os Illuminati também teriam se indignado pelas tentativas de JFK em frear o poder do Banco da Reserva Federal dos EUA, provocando uma reação fatal.

João Filho

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.